VI Curso Internacional de Verão (CIV)
A Condição Humana e o Entendimento Global: Crises, Diálogos e Diásporas”
5 a 8 de setembro 2016

Apresentação:

Num tempo que perdeu o sentido construtivo das utopias, colocar lado a lado “condição humana” e “entendimento global” corre o risco de ser confundido com uma contradição em termos, como se a condição humana fosse inconciliável com a ideia de diálogo, de partilha, de entendimento global. E todavia, nunca como hoje foi tão premente e vital a redescoberta de caminhos que nos levem a um entendimento global. Mas tal urgência obriga ao redespertar da criação de utopias, ao seu reconhecimento como grandes vias que nos podem resgatar à depressão e ao caos da “sociedade líquida”. A sociedade líquida é a sociedade prisioneira de um tempo só, o do instante, o do imediato. E como nele não há espaço nem para o passado nem para o futuro, nele também não cabem nem memória, nem missão. A sociedade líquida é assim também como um mar de pequenos peixes ciclídeos, prisioneiros da sua incapacidade de reter o erro ou de projectar utopias, tristemente felizes na ilusão de que tudo sabem e de que tudo criam pela primeira vez.

Esta consciência que ainda conseguimos reter sobre a alarmante verdade da nossa condição humana, pode contudo fazer toda a diferença quando se trata de procurar projectar novas utopias e as suas novas linguagens. Será por via desta consciência que, por exemplo, em substituição da já esgotada linguagem multiculturalista (potenciadora dos mosaicos auto-segregados, da reificação de estereótipos, e da cristalização simplificadora de identidades) poderá vingar a nova linguagem da interculturalidade. Nesse exercício, as diásporas enquanto expressões vivas da transformação social e cultural, do encontro de mundivisões, de trajectos e de narrativas, já não serão entendidas como excepções ao estado natural mas sim como o estado natural da condição humana. Urge pois uma nova utopia, a da sociedade- diáspora que não teme viajar nos seus múltiplos tempos, e que é em si espaço de muitos espaços, de muitos encontros e de muitos diálogos.

Enquadramento:

O Curso Internacional de Verão (CIV) é uma iniciativa da Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora, que decorre entre os dias 5 e 8 de Setembro de 2016 sob o tema “A Condição Humana e o Entendimento Global: Crises, Diálogos e Diásporas”.

Tem início com um colóquio no dia 5 e prolonga-se durante um total de quatro dias com conferências temáticas, workshops e ainda um programa cultural rico e diversificado.

Com abertura prevista no magnífico Colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora, o Curso Internacional de Verão estende-se depois por outros espaços do centro histórico, mas também da cidade extra e além-muros. Estão programadas sessões em diversos espaços e equipamentos culturais da cidade, no Cromeleque dos Almendres, a cerca de 12 km a oeste de Évora, e também na vila medieval de Monsaraz.

Destinatários:

Estudantes e outros investigadores de qualquer ciclo e área de estudos, profissionais e comunidade em geral interessada em conhecer, aprofundar e discutir a problemática do entendimento global desde uma perspetiva plural e atual.